Sopas de Espírito Santo – Açores 

Tempo de leitura: 8 minutos | Açores

Publicidade

Todos os anos, a partir do mês de Maio, todas as Ilhas dos Açores são tomadas por um ambiente festivo, em comemoração ao Divino Espírito Santo. Esta festa popular, muito tradicional nos Açores, é realizada sempre sete semanas depois do Domingo de Páscoa, no dia em que o Espírito Santo teria descido sobre os doze apóstolos, conhecido como o Dia de Pentecostes.

Esta comemoração possui sete séculos de existência e é comemorada tanto em Portugal, como em países que foram colonizados pelos portugueses, como Brasil e Estados Unidos.

Sopas do Divino Espírito Santo

(C) diariodalagoa.com

No último dia da festa é servida a tradicional Sopa do Espírito Santo ou Sopa do Império. Apesar de a receita ser bastante simples e passível de ser feita em quaisquer residências, o sabor nunca se iguala às Sopas servidas nas Ilhas dos Açores.

Publicidade

Todas as freguesias possuem pelo menos um Império, pequeno edifício com arquitectura muito distinta onde são realizadas as actividades do culto. Esta arquitetura varia muito de Ilha para Ilha, podendo ser um simples telheiro ou até mesmo capelas muito ornadas e encimadas pela Coroa Imperial.

Dezenas de voluntários juntam-se e dão o seu melhor para homenagear o Divino Espírito Santo. As ruas são enfeitadas com luzes, verduras e bandeirinhas e o espírito de comunidade e unificação toma conta do povo dos Açores.

Publicidade

História

O culto açoriano ao Divino Espírito Santo teve os seus primeiros registros nos séculos XIV e XV. Por ocasião da construção da Igreja do Espírito Santo, a Rainha Isabel (1271-1336) estabeleceu uma celebração, que rapidamente se espalhou pelas outras localidades portuguesas.

Nessa celebração, A Rainha coroava os mais pobres e a cerimónia era acompanhada por uma festa. Os fidalgos conseguiram autorização da Rainha Isabel para fazer essa mesma cerimónia nas suas propriedades com uma réplica da coroa e assim a tradição se manteve até os dias de hoje.

Publicidade

Sopas do Divino Espírito Santo

(C) Carlos Luis M C da Cruz

A celebração que teve início da cidade de Alenquer, é hoje uma das mais tradicionais de Portugal. Além disso, esta festa tradicional também se difundiu nas novas terras descobertas pelos portugueses e é celebrada ainda hoje em países como o Brasil e os Estados Unidos.

A Festa do Espírito Santo desenvolveu um sentido de comunidade e união muito típico da cultura dos Açores. O ato de distribuir o pão na Festa teve origem com a doação de comida aos pobres pela Rainha Isabel, com o objetivo de proteger os habitantes dos desastres naturais. No último dia das comemorações é servida uma Sopa do Espírito Santo, com carnes e legumes e distribuídas com pão a todos que não fazem parte do império local / visitantes.

 

O povo colabora com muita honra e boa vontade nos festejos do Espírito Santo.

Publicidade

Festas do Espírito Santo / Impérios

As características mais marcantes das Festas do Espírito Santo são a mistura de manifestações religiosas e profanas, marcada pela gastronomia, que varia de ilha para ilha. Inclusive, dentro da própria ilha é comum cada uma ter as suas particularidades.

Espirito Santo

(C) diariodalagoa.com

As festas acontecem aos domingos, nas sete semanas seguintes à Páscoa e misturam danças, arranjos de flores e a coroação de uma criança, com um ceptro e uma coroa de prata que preside as cerimónias. No último domingo, o de Pentecostes, há uma grande festa, onde a Sopa do Espírito Santo é distribuída. Em alguns lugares também é realizada uma tourada à corda.

As festas ocorrem numa pequena capela ou “Impérios”, utilizadas para distribuir a sopa e expor os emblemas próprios do festejo (a coroa, a placa e o ceptro).

Só na Ilha Terceira existem 58 Impérios, pintados com cores muito vivas, típicas da primavera.

Sopas do Espírito Santo

As populares sopas do Espírito Santo também são conhecidas por “Sopas do Império”. Apesar de muitas pessoas afirmarem que estas sopas são típicas da Ilha Terceira e do Faial, elas são encontradas em todas as ilhas, tendo apenas variações nas receitas.

Publicidade

Sopas do Divino Espírito Santo

(C) diariodalagoa.com

Na base desta receita está o pão seco, que é barrado com manteiga e coberto com a água que se cozeu as carnes. O momento da partilha das sopas é sempre um dos mais esperados onde realmente se mostra o espírito comunitário. As mesas são preparadas para dezenas ou até mesmo centenas de pessoas partilharem o prato principal, ou seja, as Sopas do Espírito Santo.

Os festejos são sempre acompanhados por muita música, cantares, bazares e arrematações onde o lucro é revertido a favor da festa.

Sopa do Espírito Santo da Ilha da Graciosa

Nas 9 ilhas dos Açores a receita pode ter uma leve variação, assim como em cada freguesia, variando os acompanhamentos. A receita a seguir é da Ilha da Graciosa e disponibilizada pela Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas.

Ingredientes utilizados

  • 2 kg carne vaca;
  • 800 gramas galinha;
  • 1 pau de canela;
  • 2 cebolas;
  • 3 dentes de alho;
  • 1 repolho médio;
  • 200 gramas de sangue de vaca coalhado;
  • 1 pão de trigo grande (duro);
  • 500 gramas fígado cozido
  • sal;
  • 1 colher de sopa de banha ou de manteiga;
  • 1 ramo grande de hortelã;
  • 1 concha de molho de alcatra;
  • 1 colher de sopa de massa de malagueta.

Modo de preparo

Em um pano ou gaze coloca-se os dentes de alho, a cebolas cortadas aos quartos, a massa de malagueta, a hortelã e o pau de canela. O pano é atado e colocado na água temperada com sal para a sopa. Quando ferver, coloca-se a carne e a cozinha e deixa cozinhar.

Quando as carnes estiverem cozidas, junta-se o repolho e a banha e deixa-se cozinhar mais um pouco. Em separado, se cozinha o fígado e o sangue com água em recipientes diferentes.

O pão é partido ao meio em sentido horizontal e depois cada metade é partida em quatro ou cinco pedaços. Este pão é colocado em uma tigela com o miolo virado para cima e regada com uma concha de molho de alcatra e um ramo de hortelã. Logo acima o repolho, fatias pequenas de fígado e de sangue e regado com um pouco de caldo. Feche por alguns minutos e depois regue com o restante do caldo.

Publicidade

A sopa é coberta com uma toalha de linho e abafada com cobertores por duas a três horas. Depois de comida a sopa, come-se a carne, a galinha e o restante do fígado e do sangue. Após servida a sopa, come-se a alcatra com massa sovada ou pão de mesa, dependendo da freguesia.

A sopa é cozida em grandes caldeirões e servida em tigelas de louça de barro, ao livre.

Vídeo

Partilhamos igualmente consigo a receita de Sopas do Senhor Divino Espírito Santo da autoria de Leonor Santos.

Curiosidades

Nas festas do Espírito Santo são servidas as tradicionais sopas, massa sovada, carnes e vinho de cheiro. Outros pratos também servidos são o arroz doce, o bolo de véspera, rosquilhas da noite, suspiros do corvo e as vésperas do Pico. Variando sempre conforme a localidade.

Além da presença dos moradores locais, é cada vez mais comum a presença de visitantes estrangeiros, tornando o evento cada vez mais turístico.

Festas do Divino Espirito Santo - Ponta Delgada - São Miguel, Açores

(C) diariodalagoa.com

Cada Império planeia os seus festejos com as suas características próprias. As Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, por exemplo, apresentam “o cortejo etnográfico de todas as freguesias do concelho com 26 carros de bois, 56 carros alegóricos, 18 folias, três agrupamentos musicais e duas carrinhas de massa sovada”.

Os muitos visitantes que visitam os Açores na época dos festejos ficam deslumbrados com a hospitalidade do povo açoriano. Esta prática mostra os valores humanistas e solidários referenciados através da partilha e do convívio entre todas as gerações e classes sociais. Além disso, os festejos mostram a importante dimensão religiosa unida às relações interpessoais de locais e visitantes do mundo todo.

Publicidade


Promoções de Viagens para os Açores